terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Sophia, com PH.

- Ela era branca, branca como um tipo raro de neve e tinha a altura razoávelmente desejável. Seu cabelo era um liso escorrido, com os fios negros e curtos. Era quase um chanel, mas algo o diferenciava disso. Ela tinha os olhos saltados, parecia viver assustada e a cor eu nunca soube ao certo. Sabe a cor de um burro quando foge? Então, seus olhos tinham essa cor, indefinível.

Ela tinha uma aparência fria e gélida e também muito frágil. Frágil ao ponto que se certa pessoas não tomasse um devido cuidado, ela poderia partir ao meio. Ela me lembrava um tipo de boneca mais frágil de porcelana. E era tão bonita quanto.

Todas as vezes que eu à via, ela estava sentada num banco de uma praça deserta lendo um daqueles livros que ninguém nunca leria. E na verdade ela não o lia, só olhava para ele. Sua mente estava visívelmente distante. Mas distante quanto? Isso eu nunca soube.

Era uma cidade pequena, todos falavam sobre ela. Comentavam que apesar de tudo ela ainda tentava ser feliz. Mas apesar de tudo o que? Ela ainda sofrerá por um amor antigo?

Ao passar de um tempo, descobri que ela estava noiva de um bom rapaz, um casamento arranjado pela família da moça. Mas que na verdade, seu coração pertência à um escritor falido que já se mudará há algum tempo da cidade.

Então os livros desconhecidos que ela tentará ler eram dele? E sua mente se perdia em busca dele? E por que então ele hávia ido embora? Mais que coisa.

Ela era uma boa menina, coitada. Mas no fim? Há, no fim ela cometerá suicídio no dia do seu casamento.

Ninguém além de mim naquela pequena cidade se surpreendera. Mas por que? Já era de se esperar? Não houvera nenhuma outra saída então? Sabe, eu nunca soube responder nenhuma pergunta quando se tratara dela.

Mas que fique registrado: Ela era diferente de todas as outras. E chamava-se Sophia, com PH.

Emelly Dias Aloy

3 comentários:

  1. Muito interessante o texto!
    E por incrível que pareça, eu sempre achei lindo o nome "Sophia". E com PH, tem toda uma delicadeza e isso se torna de certa forma, único para a personagem. Gostei mesmo *-*
    Parabéns Emelly, você escreve muito bem e tem uma criatividade muito legal ;)
    Beijos e au revoir ;*

    ResponderExcluir
  2. De certa forma, esse é o primeiro comentário que recebo por algum texto que escrevi (os da minha família não contam). E eu sempre quis que alguém me amasse por algo que escrevi, e vejo que você segue as minhas postagens aqui e no twitter. E sério, acho que por ser o primeiro elogio, fico muito grata e muito feliz. Beijos <3

    ResponderExcluir